The Ad

Um publicitário enfrentando alguns leões para que algum dia possa tê-los em minha estante. Souveniers de Cannes.
Recent Tweets @dehhsign

A campanha Fallen Angels da Axe, é na minha opinião, uma das melhores sagas publicitárias que já vi, claro, não esquecendo de outros ícones recentes, como o Old Spice.

A campanha que contou com diversos vídeos, incluindo uma ativação feita no metrô de Londres, tem um novo vídeo que mostra os “perigos” de se namorar um anjo. Veja abaixo:

A campanha é assinada BBH e é ativada em diversos países como o Reino Unido, Irlanda, Austrália e China, onde o produto leva o nome de Lynx.

Assista outros vídeos da saga angelical abaixo:


O poder de criação é distinto. A criação que provém de uma agência de marketing é muito diferente daquela que vem de uma agencia de publicidade e propaganda.

E isso é visto neste vídeo feito por uma agência de marketing para “homenagear” - tragicamente - o Dia do Cliente.

Como eu disse em meu facebook, entendi o porque que o Carlos Merigo, editor-chefe do Brainstorm #9, se recusou a criar um post sobre o vídeo.

Ótimo infográfico criado pela Go-Gulf que vi no Blog do Crespo. Vejam o que acontece na internet em 60 segundos…

60 Seconds - Things That Happen On Internet Every Sixty Seconds
Infographic by- Shanghai Web Designers

Uma boa agência é aquela que é criativa. Uma ótima agência é aquela que compartilha dessa criatividade com seus clientes.

Mais uma vez, parabéns Serpa e cia.

Social Media é algo relativamente novo. Em um mundo onde cada ano que passa, uma nova tecnologia surge e de alguma forma, torna-se mais uma plataforma para sustentar propagandas e campanhas em prol de atingir o target onde quer que ele esteja.

Porém, as plataformas de redes sociais não foram inicialmente feitas para esse propósito. Desde o Mirc até as novas redes sociais, o foco principal era a comunicação interpessoal. Nem os mais filósofos - como um dia foram o pessoal da Escola de Frankfurt - poderiam imaginar o quanto o processo comunicativo se expandiria.

Talvez por esse motivo inicial, falta um pouco mais de seriedade com as mídias sociais. E não me refiro, em primeiro momento, sobre a falta de confiança das empresas. Sabemos que, por mais que definam alguns KPI’s, não existe uma matemática simplória e confiável de ROI - a principal questão para os marketeiros e gerentes. 

Minha preocupação é com a falta de seriedade com pessoas que, ironicamente, procuram vaga na área. De certo estão percebendo que Social Media não é mais tendência, e sim um fato. Ainda mais com tantas escolas prometendo mundos e fundos, cursos especializados e palestras por aí.

O Twitter, Facebook, Orkut e afins deixaram de ser apenas um passatempo e se transformaram em um grande capacitador de informações e insights para grandes empresas. Porém o estigma ainda continua. Prova disso é um feedback que tive ao postar algumas vagas na área em meu twitter. Veja abaixo a resposta das pessoas:

"Rapá" ???????????


"Frila"????????????????????

"Brother" ????????????????????

Ah, claro!!!! Senta lá, Cláudia.

Achando que é uma brincadeira?

Fazemos sempre uma análise antes de entrar em contato com candidatos. Apesar de ser uma área mais nova, o comprometimento com o trabalho e a ética devem ser as mesmas que a de uma entrevista para um escritório de advocacia ou para uma vaga em bancos.

Vou iniciar aqui uma série de comerciais “no sense” que foram veiculados ou que ainda estão passando nas telinhas.

Começaremos com uma das mais novas pérolas da propaganda brasileira. Em meio a pôneis, galinhas e “uau’s”, a tradicional marca de massas Renata resolveu partir para o setor de bolachas. 

Ainda estou tentando descobrir qual a ligação entre a procura pela bolacha e a mulher (tirando o provável nome, é claro).

Ao menos, é o que vemos quando somos referenciados com as propagandas propostas para este setor.

É difícil falar com um público que ainda é muito tímido quando o assunto é “relacionamentos gerados pela internet” - compreensível até com a insegurança que ainda temos.

Já mostrei há algum tempo atrás uma propaganda da Parship, feito pela agência Leagas Delaney. Agora é a vez da Match.com, em parceria com a agência Mother, de Londres.

Confiram:

Muito legal essas peças da Dentsu Brasil para a Escola São Paulo de Cinema.

Um publicitário tem que ter discernimento para analisar peças. Deve-se analisar figuras gráficas e tipografias. Slogans e textos. Fotos e cores. Mas isso que a Almap fez é sacanagem. É fazer esquecer todas as minhas aulas…é querer queimar o meu diploma (por não ter tido uma idéia dessas).

É mexer com o íntimo musical. Do blues ao rock. É me levar à década de 70 - da qual eu não vivi - e me sentir suficientemente triste com a morte de Elvis. 

É jogar na minha cara “Você nasceu na época errada, babaca”.

Sadicamente, eu gosto. Em nome de todos os fãs da boa música e de todos os publicitários, Obrigado Almap. Obrigado Billboard

PS: Obrigado também ao @TiagoEfectus por compartilhar.

Via Estadão

Clique na imagem.

O Facebook (em parceria com o The New York Times) acaba de lançar um concurso apenas para publicitários, o The Big Ad Gig. O concurso ainda conta com um lindo site que nos leva aos principais momentos de cada mídia.

A idéia é recriar em vídeo, um dos momentos mais memoráveis (na sua opinião) da publicidade mundial. Veja o vídeo abaixo: